Main menu

Alerta Para os Pais Em Relação às Vacinas

7 set 2015
Share Button

 

 

vacinação-contra-hpv-imagem-merceariadasaude.com_.br_

 

Olá Meninas, tudo bem?  No Post de hoje vamos falar sobre a importância das vacinas.

Vamos lá?

 

1- Hepatite B (HBV) – O Ministério da Saúde recomenda a vacinação universal dos menores de 20 anos de idade. A vacina está disponível nos postos de saúde e deve ser administrada em 3 doses, com intervalos de 2 e 6 meses em relação à primeira dose, esquema indicado aos indivíduos que não foram vacinados na infância. A vacina combinada (HBV+HAV) pode ser utilizada na primovacinação  dos adolescentes.

 

2- Difteria e tétano (dT) – A vacina dupla do tipo adulto (dT) é indicada para crianças a partir de 7 anos, adolescentes,adultos, gestantes e acidentados, verificando sempre o passado vacinal. Os reforços são indicados a cada 10 anos com dT.  Quando houver indicação para o uso de toxoide tetânico, deve-se dar preferência à vacina dupla dT em substituição ao toxoide tetânico isolado.

 

Se o adolescente nunca tiver sido vacinado ou desconhecer seu estado vacinal, indica-se o esquema de 3 doses, preferencialmente com dTpa (difteria, tétano e coqueluche acelular), pois essa vacina apresenta proteção adicional para a coqueluche, com intervalos de 2 meses entre elas.

 

3- Poliomielite (VIP)- São raros os casos de adolescentes que necessitam da vacinação contra a poliomielite (VIP), pois a maioria dessa faixa etária recebeu inúmeras doses da vacina oral (VOP) antes dos 5 anos de idade. Às crianças acima de 7 anos que não receberam a vacina, indicam-se as 3 doses, com intervalos de 4 semanas entre cada uma delas.

 

4- Sarampo, caxumba e rubéola (SCR)- Indivíduos  vacinados com uma dose, após um ano de idade, devem receber a segunda dose, completando o esquema vacinal indicado para crianças com menos de 6 anos de idade.

A academia Americana de Pediatria e a Sociedade  Brasileira de Pediatria recomendam uma dose adicional na adolescência para diminuir as falhas das vacina primárias. Prioriza-se, nesse caso,o uso da vacina tríplice viral (SCR) a de seus componentes isolados.  

 

Os adolescentes não vacinados previamente devem receber as 2 doses, com intervalos de 30 dias. Justifica-se a vacinação de adolescentes contra o sarampo, sem confirmação de dose anterior, em razão da incidência maior em menores de um ano e em jovens acima dos vinte anos de idade, segundo estudos sobre a situação do sarampo no estado de Minas Gerais.

 

A rubéola distribui-se universalmente, e a  estratégia seletiva visa  a atingir a população-alvo. No momento da vacinação, devem -se indagar os adolescentes com vida sexual ativa sobre a possibilidade de gravidez, alertando-as para que essa condição fisiológica seja evitada nos 30 dias seguintes.

11997279_696754613801362_1002691288_n

5- Varicela (VAR)- O risco de complicações é mais elevado após os 15 anos de idade, por isso indica-se a vacinação, apesar de os postos de saúde não disponibilizarem a vacina. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a vacinação em dose única a partir dos 5 anos de idade. Os não vacinados acima de 13 anos de idade devem tomar 2 doses da vacina, com intervalos de 4 semanas.

A vacina quádrupla viral ( sarampo, caxumba, rubéola e varicela) pode substituir as vacinas tríplice viral e de varicela. 

11950793_696754853801338_1560730014_n

 

6- Hepatite A (HAV) O departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a vacinação, sempre que possível, a todas as pessoas a partir de um ano de idade. Indivíduos com risco da doença devem receber 2 doses da vacina, com intervalo de 6 a 12 meses.

 

7- Meningocócica A,C,Y e W135- A vacina contra os meningococos do grupo C, causador da meningite, devem ser dada a partir dos onze anos de idade em dose única aos indivíduos não vacinados na série primária de vacinação e como reforço aos que foram vacinados nos 2 primeiros anos de vida.

 

8-  Papilomavírus humano (HPV) De lançamento recente,é indicado para meninas e mulheres de 9 a 26 anos de idade, em 3 doses, com intervalos de 2 e 6 meses em relação à primeira dose.  Existem duas vacinas diferentes disponíveis no mercado.  O ginecologista poderá orientar sobre as doses e a vacina  mais adequada.

11997092_696754633801360_1869283298_n

9- Influenzavírus (FLU) A vacina contra o influenzavírus, doença sazonal, está indicada em 1 dose, anualmente, para indivíduos com risco de infecção ou que convivam com pessoas com risco de infecção.  Deve ser aplicada no início  da estação do influenzavírus.

 

10- Pneumocócica 23-valente- Recomenda-se a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente as crianças e adolescentes  com risco elevado para doença pneumocócica invasiva (DPI), mesmo que já tenham  recebido a vacina pneumocócica conjugada previamente.

 

11- Febre Amarela (FA) A vacina está recomendada a todas as pessoas a partir dos 9 meses que vivem ou viajam  para áreas endêmicas ou de transição.  Indica-se a revacinação a cada 10 anos. Está incluída no calendário de diversos estados brasileiros pertencentes às regiões Norte, Centro-Oeste e Nordeste.

 

 

Meninas, espero que tenham gostado do Post.  Eu acho as informações de extrema importância para nós,mães,em relação a saúde de nossos filhos.    As informações foram retiradas do livro Sociedade de Pediatria Brasileira.

 

Beijão, Beta

Share Button
Roberta Carvalho Roberta Carvalho (107 Posts)

Sou casada e Mãe de um adolescente.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *